quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

O CARNAVAL, A QUARESMA E A PASCOA

O Carnaval, a Quaresma e a Páscoa!!!

Anualmente o carnaval e a Páscoa são duas festas do nosso calendário, celebradas geralmente no primeiro quadrimestre (este ano é no primeiro trimestre). O carnaval com seu rei momo e sua rainha, é uma festa pagã, profana, e oportunidade maior para extravasar os desejos pecaminosos da “carne” – aquilo que não agrada a Deus: sexo ilícito, drogas, alcoolismo, violência, engano, libertinagem etc.... Num contexto sem o conhecimento e a prática da verdade bíblica, a Páscoa, por outro lado, é uma festa religiosa, com o Cristo crucificado e o “Judas sendo malhado” (!), oportunidade maior para se “purificar” dos males do carnaval e para o comércio do coelhinho, do ovo, do chocolate.

Durante o carnaval, na quarta-feira de cinzas, dá-se início a Quaresma...

Segundo a “Wikipédia, a enciclopédia livre” a “Quaresma é o tempo litúrgico de conversão, que a Igreja Católica, a Igreja Anglicana e algumas protestantes marcam para preparar os crentes para a grande festa da Páscoa. Durante este período, os seus fiéis são convidados a um período de penitência e meditação, por meio da prática do jejum, da esmola e da oração. Começa na Quarta-feira de Cinzas e termina no Domingo de Ramos. Ao longo deste período, sobretudo na liturgia do domingo, é feito um esforço para recuperar o ritmo e estilo de verdadeiros fiéis que pretendem viver como filhos de Deus. A Quaresma dura 47 dias, embora para o calendário litúrgico os domingos não contem, perfazendo então 40 dias. A duração da Quaresma está baseada no simbolismo do número quarenta na Bíblia que significa provação...”

Esta relação – carnaval, quaresma e Páscoa, traz a tona, e escancara as entranhas de toda hipocrisia religiosa de um país chamado cristão, e ou de pessoas que se dizem filhos de Deus, mas vivem alienadas, indiferentes e ou rebeldes para com Ele e Sua vontade revelada na Bíblia – palavra de Deus.

O verdadeiro cristão, filho de Deus, discípulo de Cristo é aquele que crê em Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, e o confessa como Senhor (João 1.12; 8.31,32). E, aquele que segue a Cristo não tem alegria e satisfação em festejar o carnaval, para depois se penitenciar e meditar em preparação para a Páscoa. Isso é pura ignorância espiritual, ignorância da verdade bíblica, hipocrisia, indiferença e ou rebeldia para com Deus!

Páscoa é uma festa ao Senhor, um memorial de libertação da condenação e escravidão do pecado (marca do carnaval em geral e da vida sem Deus)!

No Velho Testamento o povo de Israel relembrava o sofrimento no Egito, e celebrava a libertação da escravidão (cumprindo a ordem de Deus e num ato de fé, as casas onde cordeiros foram sacrificados e o sangue aspergido nos umbrais das portas, não houve morte, mas vida e libertação para adorar e servir ao Deus vivo e verdadeiro). Eles saíram do Egito com a promessa do descanso em Canaã, a terra prometida.

No Novo Testamento, pela fé em Cristo nosso Cordeiro pascal (Ele que morreu pelos nossos pecados e ressuscitou...) somos libertos da condenação e escravidão do pecado para no Espírito Santo adorar a Deus, servi-lo e testemunhar de Sua santidade, justiça e amor.

“... Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado. Por isso celebrem a festa...” (1 Coríntios 5.7,8).

Perdão e purificação dos pecados não vêm pela penitência, pela meditação, pelo jejum, pela esmola etc., mas vêm pelo arrependimento, confissão e abandono dos pecados, sabendo que Deus nos perdoa e purifica por causa da “morte de Cristo pelos pecados”. Perdão e purificação são frutos da graça e do amor divino, e não das obras humanas, e nem das tradições religiosas (Tito 3.4-8).

Assim, na Bíblia o carnaval é repudiado, a quaresma não tem sentido, e a Páscoa não está relacionada com coelho, chocolate, comércio, feriado, religião etc., mas sim com a oportunidade para relembrar de que sem Cristo há condenação e escravidão do pecado, e celebrar a libertação e a nova vida em Cristo. Vida com verdadeira alegria e paz, e com a promessa da eternidade com Deus, para todo o que verdadeiramente crê em Cristo.

Que significa o carnaval e a quaresma para você? Qual e quem são as suas fontes de alegria e satisfação? Qual o significado da Páscoa para você? O que te traz a memória? O que você celebra?

Pr. Domingos Mendes Alves
02/02/2008

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

como planejar uma lição ativa?

Como planejar uma lição ativa?

Escolhendo Atividades para uma Lição

 Conserve o foco na lição Bíblica.
 Escolha uma variedade de atividades.
 Movimente as atividades em volta dos objetivos da lição.
 Não ensine somente pelos fatos; ensine para que haja compreensão.
 Ajude as crianças a experimentarem a histórias por elas mesmas.


http://lizzsantos.multiply.com/journal/item/44

dica de liz:

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

tecnica de pintura

72-1 Desenho de memorização
É um desenho realizado de memória; não temos à nossa vista o que ser observado enquanto o desenho vai sendo elaborado no papel.


72-2 Desenho de observação
Quando algo está presente à nossa vista para ser desenhado; deve ser transportado para o papel atentamente, seguindo todos os detalhes.


72-3 Desenho Criativo
O desenho criativo pode ser dirigido ou livre.
a) Desenho Livre
Quando não depende de meios representativos, mas da própria imaginação e criatividade.
No desenho livre a criança se exterioriza, pensa e faz. A espontaneidade é, talvez, a característica mais importante do desenho infantil.
Às vezes a criança pode oferecer resistência ao desenho livre. Ela não sabe como expressar-se bem, tem medo de faze-lo, receia não agradar. Isto é natural ocorrer; portanto não force a criança, deixe que ela realize os trabalhos naturalmente. Se você observar que ela não quer utilizar esta técnica aponte outra que ela se interesse mais.

b) Desenho dirigido
Quando o tema é dado por outra pessoa; o desenho é de livre criação, mas o tema específico. É a representação do que ocorre à criança como conseqüência de algo que ela viu ou vivenciou.


72-4 Desenho individual
É fundamental que o professor esteja motivado para transmitir dinamismo e entusiasmo aos seus alunos.
O desenho é uma atividade que deve ser elaborada durante o ano todo, como forma de livre expressão e equilíbrio pessoal do aluno.
O produto artístico do aluno tem valor não pela sua beleza e conteúdo, mas simplesmente porque é uma expressão natural e espontânea. Por isso não devemos estabelecer formas estereotipadas ou incentivar a cópia de modelos para obter bons resultados.


72-5 Pontilhismo
Material:
 Papel
 Lápis grafite, lápis de cor ou canetinhas hidrocor.
Procedimentos:
 Sobre a superfície do papel elaborar desenho pressionando livremente o lápis, de modo a preencher os espaços livres; dar em seguida um colorido, fazendo pequenas marcas ou pontos.
 Os efeitos de cor e tons são obtidos da fusão desses pontos.
 Essa técnica requer paciência e observação.


72.6 Desenhos Texturados
Material:
 Papel em branco ou em cores
 Lápis de cor, giz de cera ou canetinha hidrocor
Procedimentos:
 A textura também se dá ao emprego de traços, marcas diversas sobre o papel ou desenho.
 Pode-se enriquecer o desenho empregando linhas paralelas, linhas curvas, pontos ou outras marcas.
 Pressionar o lápis de cor, cera ou canetinha sobre o desenho, para obter marcas, mantendo uma distância entre elas.


72.7- Desenho Esfumaçado
Material:
 Lápis de cor
 Estilete
 Papel branco, ofício ou cartolina
 Algodão ou cotonete
Procedimentos:
 Com auxilio de estilete raspar as pontas de vários lápis de cor ou cera, deixando o pó bem fininho;
 Com o cotonete fazer o desenho com as raspas dos lápis sobre o papel, variando bem as cores;
 Esfregar suavemente as raspas dos lápis com algodão nas laterais, dando sombreamento ao desenho;
 Pode-se obter, com esta técnica, desde um colorido leve até um tom mais forte.

72.8- Desenho com Lápis de Cera
Material:
 Lápis preto
 Lápis de cera ou bastões
 Papel branco, preto, pardo ou em cores
 Fixador
Procedimentos:
 Com o lápis preto desenhar livremente no papel;
 Fazer o contorno e colorir todo o desenho com lápis de cera;
 Fazer o sombreamento utilizando o lápis de cera deitado;
 Finalizar o trabalho, aplicando o fixador para não manchar a pintura.


72.9- Desenho sobre Papel Camurça
Material:
 Papel camurça na cor desejada;
 Lápis de cor, lápis de cera ou canetinha hidrocor
 Fixador
Procedimentos:
 Desenhar livremente;
 Com lápis de cor ou outro material, cobrir todo o desenho usando cores variadas;
 Fazer o contorno do desenho usando cores mais fortes para destacar o sombreamento.
 No papel de cor clara fazer o uso de cores mais fortes, e no papel escuro usar cores claras;
 Levar o aluno a descobrir os efeitos do lápis branco, principalmente sobre os papéis mais escuros;
 Depois do trabalho pronto, aplicar o fixador para segurar a pintura sobre o papel camurça.


72.10- Desenho com Carvão
Material:
 Carvão fino para desenho;
 Papel branco
 Algodão
 Borracha macia
Procedimentos:
 Desenhar livremente com o carvão sobre o papel;
 Passar o algodão suavemente, fazendo sombreamento para conseguir tons de cinza em algumas partes do desenho;
 Passar a borracha para dar luminosidade, realçando algumas partes do desenho.


72.11- Desenho com Giz Colorido
Material:
 Giz colorido
 Papel ofício branco ou em cores
 Leite
Procedimentos:
 Colocar um pouco de leite em um recipiente pequeno;
 Molhar o giz no leite e desenhar livremente sobre o papel;
 O leite faz com o que giz prenda-se no papel, servindo de fixador.


72.12- Desenho sobre Lixa
Material:
 Lixa fina
 Lápis de cera, giz colorido ou lápis de cor etc.
Procedimentos:
 Desenhar livremente sobre a lixa;
 Colorir o desenho usando cores variadas e tons fortes; usar a cor branca para dar efeitos de luz no desenho;
 Soprar levemente para retirar o pó, e aplicar o fixador para segurar a pintura sobre a lixa.


72.13- Desenho com Gizão de Cera derretida
Material:
 Lápis de cera, gizão de cera de várias cores
 Vela
 Papel branco ou em cores
Procedimentos:
 Sobre uma vela acesa, encostar ligeiramente o gizão de cera. Derretida a cera, passá-la sobre o papel, criando seu próprio desenho, deixando-o, em relevo;
 Pode-se também aquecer o gizão na vela e deixar cair pingos coloridos aleatoriamente sobre o papel, conseguindo-se um efeito muito bonito;
 Esta técnica deve ser realizada com crianças maiores, para evitar acidentes.


72.14- Desenho Soprado
Material:
 Papel branco, em cores escuras ou preta
 Guache de várias cores, principalmente o branco
 Canudos de refrigerantes
 Copinhos descartáveis de café
Procedimentos:
 Dissolver as tintas guaches nos copinhos de café com um pouquinho de água, deixando-as bem grossas. Usar várias cores para enriquecer o trabalho;
 Pingar gotas coloridas sobre o papel e soprar o canudo, para que se misturem, dando um efeito especial;
 Usar o guache branco, para dar luz ao trabalho, principalmente se o papel trabalhado for de cor escura.


72.15- Desenho com Lápis de Cera e Nanquim
Material:
 Lápis de cera ou gizão de várias cores
 Papel ofício ou cartolina
 Tinta naquim
 Pincel de ponta chata
 Pente fino
Procedimentos:
 Cobrir todo o papel, fazendo listras ou curvas sinuosas com giz de cera de várias cores;
 Com o pincel, cobrir toda a folha com tinta nanquim e deixar secar bastante;
 Pegar o pente e passá-lo em toda a área do papel, em várias direções, para obter o efeito colorido do giz de cera.


72.16- Textura
Material:
 Papel branco
 Lápis de cor ou cera
 Material de sua escolha (moeda, tecido, folhas, lixa etc)
Procedimentos:
 A textura é uma característica de determinada superfície, levando em consideração a aspereza, brilho, trama etc., do material empregado no desenho;
 Sobre a superfície de um corpo (moeda, papel, tecido espesso, folha, lixa etc.) colocar o papel e pressionar sobre ele levemente, o lápis na posição inclinada, para obter efeitos de textura.


72.17- Desenhos sobre Folhas ou Figuras Recortadas
Material:
 Lápis de cera
 Papel branco ou em cores
 Folhas de plantas ou figuras recortadas em papel espesso
 Anilina
Procedimentos:
 Colocar as folhas ou figuras recortadas sobre uma superfície, presas com durex ou fita adesiva;
 Cobri-lás cuidadosamente com o papel;
 Passar o lápis de cera deitado sobre o papel, para obter as formas recobertas.



72.18- Pintura com Legumes
Material:
 Legumes (chuchu, batata, jiló, cenoura etc.)
 Guache em cores variadas
 Pincéis
 Pano velho
 Recipiente com água
Procedimentos:
 Cortar os legumes ao meio, aproveitando as suas formas originais;
 Naqueles que não têm formas definidas, recortar criando formas de flores, objetos, bichos etc.;
 Depois de recortados, mantê-los enrolados no pano para retirar a umidade enquanto se prepara as tintas;
 Com o auxílio do pincel, passar a tinta forma criada no legume e carimbar o papel. A cada carimbada, lavar bem o pincel, para trocar de cor, e passar a tinta novamente, variando as cores. Deixar secar.


72.19- Pintura com Esponja
Material:
 Papel
 Esponja de espuma
 Guache em cores variadas
Procedimentos:
 Pegar a esponja e dividi-la em quatro partes;
 Molhar os pedaços da esponja nas tintas, usando cores diferentes, e carimbar na folha criando diversas formas figurativas ou abstratas;
 Deixar secar.


72.20- Pintura com Anilina e Pente
Material:
 Anilina líquida nas cores desejadas
 Conta-gotas
 Cartolina
 Pente com dentes finos
 Cola branca
Procedimentos:
 Passar a cola branca sobre toda a superfície da cartolina;
 Aplicar sobre a cola anilina de várias cores, com o auxílio do conta-gotas.
 Antes de secar, passar o pente em várias direções sobre a cartolina obtendo efeitos interessantes.

72.21- Guache com Texturas
Material:
 Tinta guache de várias cores
 Papel branco
 Pincel grosso
 Escova de dentes
 Verniz spray
Procedimentos:
 Passar sobre o papel branco, camadas bem espessas com as tintas guaches;
 Sobre a pintura, dar leves batidas ou fazer movimentos circulares com as cerdas da escova de dentes, de modo a criar uma textura;
 Deixar secar e passar uma mão de verniz sobre a pintura;
 Pode-se criar várias texturas utilizando diversos materiais, tais como palha de aço, pente, espuma, folhas secas etc.

72.22- Pintura com Barbante
Material:
 Papel branco ou cartolina
 Guache de várias cores
 Vários pedaços de barbante grosso e fino
Procedimentos:
 Molhar um dos pedaços de barbante numa cor de tinta guache e colocá-lo sobre a folha de trabalho para criar formas variadas;
 Proceder da mesma maneira com as outras cores;
 Retirar os barbantes cuidadosamente, evitando borrões.
 Observar que a tinta de cada barbante passou para o papel, formando uma composição;
 Criar várias composições bem bonitas.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009