quinta-feira, 13 de novembro de 2008

FLICKR DE BERENICE

http://www.flickr.com/photos/berearte/

MUITOS DESENHOS PARA SUAS AULAS


NÃP ESQUEÇA DE AGRADECER A ELA

terça-feira, 11 de novembro de 2008

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

modelo de alfabeto

http://cathycreatif.free.fr/modeles.php?param=modeles/alphabets_et_chiffres/alphabets

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

dia das bruxas


http://www.montesiao.pro.br/festaspagas/halloween.htm


vc precisa ler urgente!

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

OS TRES VENTOS DA MONTANHA

Os três ventos da montanha
Há muito tempo atrás,vivia numa montanha muito alta,três ventos. O primeiro chamava-se Vento_grande-e-furioso. Ele soprava fazendo assim:Uoooooooooo-oooo-oooooooooooo. E quanto mais intenso se movia,mais forte era o seu sopro:Uooooo-oooooooo-ooooooooo oooooooo-eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee.
Ele era um vento muito importante.
O segundo era o Vento-forte-e-constante. O seu sopro era assim:Hooooooooooooo muito baixinho. Era um vento muito importante também.
O terceiro vento se chamava ventinho-de-dia-quente. Seu sopro era muito fraquinho. Era agradável vê-lo bater contra a folhagem:Huuuuuuu. Um dia,os três ventos se encontraram,e começaram a conversar no alto da montanha. O vento-grande-e-furioso disse assim:Uhuuuuuu,sou muito importante. Sou forte,carrego tudo que encontro pela frente . As pessoas têm medo de mim,e correm quando eu me aproximo.
_Você tem razão,respondeu o Vento-forte e-constante,mas eu acho que esta não é uma maneira bonita de ser importante. Você é importante para as pessoas porque elas o temem,mas eu sou importante porque sou útil.
E o Vento-forte-e-constante tomou fôlego e soprou:Hoooooooooo. As nuvens viajaram depressa pelo céu. As crianças correram para dentro de casa e colocaram seus agasalhos. As roupas molhadas secaram bem depressa. E os barcos no mar andaram mais depressa,cortando as ondas.
_Está vendo como sou útil? Disse o Vento-forte-e-constante. E as pessoas não têm medo de mim.
_E daí?gritou o Vento-grande-e-furioso. A verdade é que eu sei soprar mais forte . E o Vento-grande-e-furioso ficou ainda mais bravo.
O ventinho-de-dia-quente estava se sentindo pequenininho,pequenininho diante do Vento-grande-e-furioso tão forte,forte. E foi saindo devagar,como quem não quer nada. Mas muito preocupado.
_Eu não sirvo para nada!pensava ele. Vento-grande-e-furioso amendrota as pessoas,mas ele sabe fazer alguma coisa pelo menos. Vento-forte-e-constante é útil,e as pessoas gostam dele,mas eu,eu não consigo fazer nada!
Então o Ventinho saiu palas montanhas. O sol estava muito quente,e continuou assim. O céu estava muito azul,e continuou cada vez mais azul.
Mas à medida que o ventinho passava,as pessoas abriam suas janelas,e voltavam seus rostos quentes na direção em que ele soprava.
Saiam de suas casas e sorriam,que alegria!O ventinho encontrou uma menininha com um papagaio. Soprou o mais que podia. O papagaio se ergueu,e a menina ficou radiante. A seguir,viu um menininho junto a uma poça de água. Na poça estavam dois barquinhos com velas de papel,mas não saiam do lugar. O Ventinho soprou e devagarzinho os barquinhos atravessaram a poça. O menino sorriu,vendo os barcos se movendo.
Depois,viu um passarinho a beira do seu ninho.
__Voe,soprou o Ventinho.
__Tenho medo respondeu o passarinho.
Então o Ventinho soprou com toda a sua força,e obrigou o passarinho a cair do ninho,e então o passarinho feliz,viu que podia voar.
Já era bem tarde quando o Ventinho voltou para a sua casa,no alto da montanha. Seus amigos o esperavam preocupados.
__E então,Ventinho,por onde andou?O que você estava fazendo todo esse tempo?
__Quase nada,disse o Ventinho. E contou o que fizera.
Vento-grande-e-furioso já não parecia tão furioso assim. Vento-forte-e-constante Estava pensativo. E falaram ao Ventinho:
__sabe,Ventinho-de-dia-quente,todos nós fazemos coisas importantes,mas o que você faz é mais importante:Você leva alegria ás pessoas. Vento-grande-e-furioso é respeitado porque as pessoas o temem,eu sou apreciado porque lhes sou útil;mas a você elas amam,porque você,com o seu sopro leve,as alegra e acaricia,e ajuda.
Então o Ventinho desceu a montanha alegremente. Lá embaixo as pessoas grandes e as crianças calorentas ao sentirem a volta do ventinho ficaram radiantes de novo;a menininha viu seu papagaio subir. Pelo jardim voou o passarinho flutuando nas asas do Ventinho como um barco flutua no mar. E todos se alegraram.


Observação:Dramatizar a história,enfatizando o fato de que cada um é importante e dentro de suas possibilidades precisar se dispor a ajudar o outro. Possibilitar que a criança se identifique com o “Ventinho” da história,que traz alegria e leveza ao nosso mundo.

Esta historia foi passada por uma irmã em cristo da igreja Metodista.
Antes de eu contá-la,contei primeiro a história de Sansão e como ele se achava grande.
Mas é só uma idéia.
A paz.

SE GOSTOU, PEÇA AS GRAVURAS
rachel.pimentel@hotmail.com

A PROCURA DE UM AMIGO

A procura de um amigo
Era uma vez um menino chamado Nicodemos, ele gostava muito de ir a escola, gostava de estudar inglês, matemática, português, geografia e história, por causa disso, quando cresceu se tornou um homem muito rico e ele era tão sábio que o chamaram para ser mestre em Israel.Com isso Nicodemos teve também muitos amigos.
Todos os dias a casa de Nicodemos enchia de gente.
A mãe de nicodemos não gostava disso e foi logo falando:
____ Nicodemos você tem certeza que toda essa gente são realmente seus amigos?
____ claro mamãe__falou Nicodemos
__Todos são meus amigos, mas não se preocupe, porque ainda que todos não fossem, ali tem três amigos que eu sei que são verdadeiros amigos
___A é?Então me diga quem são esse?__mais uma vez questionou mamãe
.___Bem, eu tenho o Carlos, mãe o Carlos é um amigão.___Aquele que vem sempre lhe pedir dinheiro emprestado e que nunca te paga?Ah, ele realmente tem que ser teu amigo!__zombou mamãe. Mas agora me diga quem são os outros dois?
___ Ainda tem Márcio, e o Sergio Mamãe você sabia que o Marcio sempre que vem aqui ele me conta um segredo e eu não conto nada pra ninguém.Ele com certeza é meu amigo. O Sérgio um dia passou por um problema tão grande que ele pensou até em se matar, mas eu conversei muito com ele e hoje ele estar bem disposto.Tenho certeza que quando eu precisar de algum deles sei que eles me ajudaram.__Olha, Nicodemos se eu fosse você eu não contava com isso não...
__falou mamãe.
Nicodemos pensou, pensou e como ele era muito esperto,pois ele estudava inglês,matemática,português,geografia e história,logo teve uma idéia e correu para praticá-la.Primeiro ele foi à casa de Carlos. Logo que chegou lá, bateu em sua porta. Grande foi a supresa de Carlos, pois era sempre ele que ia à casa de Nicodemos.
___Nicodemos, que bom que você veio a minha casa!Que ventos o trazem?__disse Carlos.
___Oi, Carlos eu vim lhe pedir um pequeno favor. Nicodemos falou.
___È mesmo!E o que é?
___Você se lembra que não faz muito tempo me pediu um dinheiro emprestado? Eu estou precisando muito dele agora será que você pode me pagar?Se não tiver tudo não se preocupe, alguma coisa já ajuda
.__o que é isso, meu amigo, você um homem tão rico vindo me cobrar?
__é que eu estou numa situação meio difícil e qualquer coisa que você puder me dar vai vim em boa hora.
__Desculpe, mas eu não tenho nada, eu estava até pensando de dar uma passadinha na sua casa pra ver se você me arranjava algum.
___você tem certeza que não tem nada
.___Sinto muito, mas não.
Nicodemos então saiu dali muito triste, pois ele pensava que quando precisasse desse amigo ele sempre poderia contar com ele. Mas espere um pouquinho ainda há dois amigos, Eles com certeza vão me ajudar Nicodemos. Então rapidamente Nicodemos foi para casa de Márcio.Chegando lá, Marcio também recebeu Nicodemos com muita alegria,mandou ele se sentar e contar as boas novas. Nicodemos falou:
__Márcio se eu lhe contar um segredo, você me promete não contar nada pra ninguém? __Claro, com certeza!Mas me conte o que aconteceu?
__Você se lembra da Maria, aquela mocinha bonitinha que mora perto da minha casa?
__ah, sim claro o que tem a Maria?
__Eu acho que eu estou gostando dela, mas não conte nada pra ninguém, pois eu ainda estou pensando em pedir pra ela namorar comigo.
___ah, mas claro, pode deixar a minha boca é um túmulo, eu não vou contar nada pra ninguém.
Nicodemos saiu dali todo alegre. ___ Viu__pensou Nicodemos___ eu sabia que o Marcio era meu amigo....Nesse momento passa o vizinho de Nicodemos e diz:
__Que legal Nicodemos to sabendo que você vai se casar com a Maria, né?Vai ter uma grande festa, não é mesmo?Convida-me hein?
Ué, como ele ficou sabendo disso?Que casamento é esse que ele ta falando?Oh, não, será que o Marcio contou o seu segredo e além de contar ainda aumentou?____Nicodemos então ficou mais triste ainda, mas ainda existia o Sergio e com certeza ele não vai deixar Nicodemos na mão.
Quando Nicodemos chegou a casa de Sergio,ele já estava de saída,todo apressado foi logo dizendo:
___Estou correndo, pois tenho que fechar agora um grande negocio, dá pra você voltar uma outra hora?
___Mas eu queria tanto conversar com você...
___Olha só,você faz assim:uma hora dessa você procura a minha secretária e marca com ela,pois não posso parar agora.
Nicodemos ficou muito triste,pois ele reconheceu que realmente não tinha amigos nenhuma .Saiu dali muito,muito triste. Quando Nicodemos ia entrando na sua rua ,ele ouviu um barulho muito grande,parecia um monte de gente falando ao mesmo tempo e ele não entendeu nadinha do que estava acontecendo,foi quando ele viu José de arimatéia no portão e perguntou:
___O que está acontecendo?Que multidão é essa?
___Então você não sabe?È Jesus que ta passando!
___Jesus?E quem é Jesus?
___O povo está dizendo que Ele é o filho de Deus.
___È....e o que Ele faz?
___Ele veio pra salvar,libertar e curar.
___E como Ele faz isso?
___ele salva as pessoas que o aceitam,reconhece que ele é verdadeiramente o filho de Deus .Ele também liberta pessoas que estão oprimidas,que vivem no mundo de pecados e ele cura pessoas que estão enfermas.
___Puxa,então Ele é um médico?e ele cobra muito caro?
__Claro que não,Jesus não cobra nada,Ele é o medico dos médicos. Você sabia que Ele ressuscitou um amigo?
___Ele ressuscitou um amigo___Repetiu Nicodemos___Ele se importou com uma pessoa morta?
___Sim. E foi assim:Já fazia quatro dias que seu amigo estava morto,mas Jesus com o poder da palavra ressuscitou o seu amigo.
Ah,então eu vou pedir pra Jesus também ser meu amigo. Pensou Nicodemos,mas espere eu não posso ir até Jesus,pois com ele tem muita gente pobre e eu não posso me misturar,afinal eu sou mestre de Israel,o que vão pensar as pessoas que me conhecem!
Nicodemos então saiu dali,agora mais triste do que nunca,pois ele não tinha um amigo que se importasse tanto com ele. Mas como Nicodemos era muito esperto logo teve uma outra idéia,afinal ele estudava Inglês,português,matemática,geografia e história,Nicodemos era muito inteligente e ele pensou :
__Vou esperar chegar á noite,vou colocar um capuz na minha cabeça e ninguém me conhecerá e eu poderei ver um pouquinho Jesus de perto. E assim foi,quando anoiteceu Nicodemos saiu de sua casa e foi até onde Jesus se encontrava,era uma casa muito simples e estava (como sempre) uma grande multidão com Jesus. Nicodemos não pode chegar muito perto,então ficou num cantinho ouvindo os ensinamentos de Jesus e tudo que ele falava era muito bom.
De repente um grande barulho é ouvido e todos se assustam .Mas da onde viera esse barulho?Todos olham pra cima e lá estava a causa,quatro homens estavam tirando o telhado da casa onde Jesus estava e apareceu uma coisa incrível,com eles estava uma cama e um homem deitado nela. Nicodemos nunca havia visto tal coisa e ficou peplexo,mas mais peplexo ele ficou quando viu a cama baixar e Jesus dizer:
___Perdoados são os teus pecados. __ninguém entendeu nada,e a cura? Jesus não iria curar aquele homem? Perguntava todos, olhando um para os outros. Conhecendo os pensamentos,Jesus falou:
__Levanta-te e anda .Na mesma hora o homem levantou de um pulo,pegou a sua cama e saiu louvando á Deus.
Todos ficaram admirados com o poder de Jesus,que continuou a ensinar as palavras de Deus .Mas as horas passam e foi ficando tarde,e o povo devargazinho começou a sair indo para as suas casas, e de repente a casa foi ficando vazia. Nicodemos sabia que também tinha que ir embora e quando saia,ouviu Jesus falar:
__Nicodemos,fica mais um pouquinho.
__Senhor,Tu me conheces?___admirado falou Nicodemos.
__Claro,eu vi quando você chegou e como prestou atenção em tudo o que eu dizia. Sabe Nicodemos,necessário é você nascer de novo.
__Como Senhor?eu tenho que entrar na barriga da mamãe e nascer de novo?Senhor eu já estou grande,não tem como!
___Nicodemos,você estuda tanto!Estuda Inglês,português,matemática,geografia e história,mas o que você tem que estudar é a bíblia. Eu vou lhe explicar:nascer de novo não é entrar na barriga da mamãe,nascer de novo é me aceitar como Senhor e Salvador da sua vida.
__Jesus se eu fizer isso o senhor vai se tornar o meu amigo?
__Claro,Nicodemos!eu serei o seu melhor amigo.
__então Senhor eu lhe aceito.
Nicodemos ficou ali um tempão,Falando dos seus problemas com Jesus que tudo escutava. Mas as horas passaram e Nicodemos teve que ir embora e Já na rua ele pensava:
__Como Jesus é um grande amigo,mesmo estando cansando,pois o dia todo ficou cuidando do povo ainda teve tempo pra mim,Ele me ouviu e mesmo sabendo que eu sou um homem muito rico não me pediu dinheiro emprestado. Ah,não!eu esqueci de pedir a Jesus pra não contar pra ninguém que eu fui vê_lo E agora? Eu vou voltar. Não,eu não posso,já esta muito tarde,minha mãe pode estar preocupada e Jesus já deve estar dormindo. Nicodemos foi pra sua casa muito preocupado,mas no seu coração uma alegria reinava.
No outro dia,Nicodemos acordou bem cedinho e foi correndo ler os jornais,procurou pela vizinhança pra ver se alguém falava alguma coisa,mais nada,ninguém comentava nada sobre a sua vida. Foi ai que Nicodemos descobriu que Jesus não é fofoqueiro. Mas quando já fechava a porta de sua casa,apareceu José de Arimatéia, todo esbaforido. E foi logo falando:
__Nicodemos,prenderam Jesus,nós temos que ajudá-lo,pois o levaram para o Gólgota!Bateram muito nele e parece que vão crucificá-lo.
__Prenderam Jesus?vamos correndo!
Pôs-se a correr,mas quando chegaram lá,só deu tempo de ouvir:
_Pai, perdoa-os,pois não sabe o que fazem.__ Jesus exclamou e morreu.
Nicodemos não sabia o que fazer,perdera em espaço e poucas horas o seu único amigo .Depois disso ele foi e se apresentou a Pilados e pediu para enterrar o seu amigo. Pilados concedeu e ele mais José de Arimatéia retiram o corpo de Jesus da cruz e enquanto fazia isso Nicodemos pensava:
__Obrigado Jesus,pois o Senhor realmente foi um grande amigo,mesmo sabendo quem eu era não me pediu nada emprestado,me ouviu quando ninguém queria me ouvir e preferiu morrer a falar que me conhecia. Eu poderia usar da minha influência para não deixar acontecer isso com o Senhor,mas o Senhor calou e guardou o meu segredo. Obrigado.
Jesus morreu,Jesus ressuscitou,Jesus acendeu aos céus e junto com ele foi o segredo de Nicodemos.

Fim

TIA RAQUEL(rachel.pimentel@hotmail.com)

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

MELHORE SUAS AULAS

http://vidaplenainfantil.cristo.com.br/


DICA DE RENATA VIEIRA

SITE DE LILI

http://liliguerreiro.multiply.com/

MARAVILHOSO!

sábado, 18 de outubro de 2008

MUITAS GRAVURAS PARA SUAS AULAS

http://www.tstl.net/Children/Coloring/Coloring.asp


ENCONTRE DESENHOS PARA SUAS AULAS

alfabeto para cartazes


http://meustrabalhospedagogicos.blogspot.com/2008/03/alfabeto-ilustrado-de-a-z.html

BLOG DE JULIANA

http://amoremensinar.blogspot.com/

VALE A PENA VISITAR

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

COMO LEVAR UMA CRIANÇA PARA CRISTO

Métodos:
Deve ser falado sobre o Plano de Salvação a toda criança que não recebeu a Jesus ainda. Mesmo depois da conversão a criança deve estar sempre ouvindo sobre o Plano de Salvação (de preferência que em todo estudo se introduza alguns deles, ou todos se for possível).
Mensagem do Plano de Salvação:
1- Deus é Criador, Santo, Justo e Amor. Jo 3:16
2- Jesus, o único e perfeito Filho de Deus. Rm 5:8
3- Todos somos pecadores. Rm 3:23
4- Jesus morreu em nosso lugar, derramando seu sangue por nós. 1Co 15:3
5- O Salvador ressurreto e exaltado.1Co 15:4
6- A salvação é um presente que precisa ser recebido. Rm 6:23

Pode ser mostrado como abaixo ou também como o Espírito Santo te tocar:
_ Há cinco degraus que nos conduzem à salvação. É necessário subi-los se quisermos
ser salvos:

1- Sou pecador.
2- Deus me ama.
3- Cristo morreu por mim.
4- Eu aceito Jesus como meu Salvador.
5- Tenho a vida eterna.

1- Sou pecador- Rom.3:23 "Todos pecaram e carecem da glória de Deus."
2- Deus me ama- Jo 3:16 "Deus amou tanto o mundo, que deu o Seu único Filho, para que todo aquele que nele crê não morra, mas tenha a vida eterna“.

3- Cristo morreu por mim- 1Co 15:3 "Cristo morreu pelos nossos pecados... foi sepultado e ressuscitou..."
4-Eu aceito Jesus- Jo 1:12 "A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome."
5- Tenho a vida eterna- Jo 11:25 "Quem crê em mim, ainda que morra, viverá."

O CONVITE PARA A SALVAÇÃO
Chamado também de apelo, consiste em se dar oportunidade a criança de se apropriar do Presente da Salvação (ítem 5 acima). O Espírito Santo age na vida da criança, operando o novo nascimento. O convite para a criança receber o Salvador, seguido de uma ação visível, é o elo para se identificar àquela que está interessada e precisa de ajuda. Não deve ser algo que emocione, assuste, pressione ou persuada a criança.
O apelo possui algumas características que devem ser observadas:
- Deve ser claro, curto, pessoal, bíblico e positivo. Deve ser compreensível à criança e coerente com o fato da história e os demais pontos da Mensagem da Salvação.
- Deve ser num ambiente em que esteja tudo calmo e organizado, para que não haja interrupções.
- Deve haver uma manifestação visível por parte da criança, com gesto ou palavra.

LEIS QUE REGEM O ENSINO
1- Lei do Desenvolvimento - é a ordem lógica no aprendizado, quando há tempo para tudo. Por ex: um bebê recebe leite, papinha e sucos, para depois chegar à comida sólida; a criança precisa conhecer os números, aprender a somar para dominar depois a multiplicação. Assim também na vida cristã, é preciso aprender primeiro a Mensagem da Salvação, levando a criança a receber o Salvador, para depois dar-lhe a segurança e encaminhá-la no andar com Cristo.
2- Lei do Exercício -é aprender fazendo; colocar em prática o ensino, sempre que possível. Por ex: se na aula foi mencionado o ensino sobre a oração, planeje um tempo extra para as crianças se reunirem para orações específicas.
3- Lei do Efeito -é a satisfação em aprender; o ensino apresentado de forma agradável que proporciona prazer em repetí-lo. Por ex: se a lição proporcionou o desafio de falar de Cristo para um coleguinha e a criança ao fazê-lo foi ridicularizada, cabe ao professor evitar o desânimo, elogiando seu esforço e estimulando-a a tentar novamente.
A lição bíblica deve conter verdades que levem o aluno não salvo a conhecer o Salvador e orientem também o salvo, na vida cristã.
PREPARAÇÃO E APRESENTAÇÃO DA LIÇÃO
Para uma boa preparação da lição devemos separar tempo para estudá-la e orarmos por nós mesmos. Orar para que o Espírito Santo nos torne sensíveis aos ensinamentos contidos na lição a ser estudada. E se for uma passagem já conhecida, que Ele a renove para nós. Lembre-se de que Ele é o Autor do Livro e conhece nossas necessidades bem como as de nossos alunos.
Devemos preparar toda a lição a ser apresentada, assim como materiais que utilizaremos.

Ex.: flanelógrafo, cartazes com cenários para a lição, cadernos ilustrados, etc.
Orar por você, pela lição em si e pelos seus alunos.

(Autor Desconhecido)

(*) Método sugerido pelos sites http://www.montesiao.pro.br/redecrianca/professor.htm
http://www.comepe.org.br/criancas/materias/0,241005.htm.


COMO EVANGELIZAR CRIANÇAS (*)

O CÉU - SÓ HÁ UM CAMINHO
O céu é um lugar maravilhoso? A Bíblia, a Palavra de Deus, diz que lá NUNCA haverá lágrimas, morte, tristeza, choro, dor ou escuridão. O pecado também não poderá entrar ali. O céu é um lugar lindo ? Na Bíblia lemos que a cidade celestial é de ouro puro e brilhante coro o cristal. O Céu é um lugar preparado. A Bíblia diz que o Senhor Jesus Cristo, o Filho unigênito de Deus, está preparando (construindo ) um lugar para todos aqueles que O aceitam em seus corações - todos aqueles que se tornam membros da família de Deus. Você não gostaria de saber que algum dia irá ao céu viver com o Senhor Jesus para sempre? Deixe-me dizer-lhe como você pode ter a certeza de ir para o céu.

PEQUEI
A Palavra de Deus, a Bíblia, diz que só há uma coisa que nos impede de ir para o céu. Um coração cheio de escuridão do pecado não nos deixa entrar no céu. E todos os pessoas do mundo pecaram. Em Romanos 3: 23 lemos: " Todos pecaram" e em Romanos 3:10, " Não há justo, NEM SEQUER UM ". Justo.
Isso significa aquele que as pessoas não fizeram aquilo que Deus quer que faça. Será que você costuma dizer, fazer e pensar coisas que não agradam a Deus?
Já mentiu, enganou, roubou ou desobedeceu? Isso é pecado! A Palavra de Deus diz : " a alma que pecar, essa morrerá" (Ezequiel 18:4).
A Bíblia diz que nem o pecado e nem o pecador podem entrar no céu. (Apocalipse 21 :27).

DEUS ME AMA
Estou muito feliz que a nossa estória não parou naquele ponto triste. Lemos em João 3: 16 "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito... " e em Romanos 5: 8 " Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores".
Somente Deus poderia mostrar esse amor.
Costumamos ser gentis com os nossos amigos quando eles são gentis conosco. Mas quando eles não são gentis conosco, achamos muito difícil ser gentil com eles. O mesmo não acontece com Deus. Ele nas amou quando nós ainda não O amávamos, nem pensávamos nEle. Deus, o Pai, nos amou ao ponto de mandar o Seu Filho unigênito, o Senhor Jesus Cristo, para morrer por nós.
E o Senhor Jesus, que é Deus o Filho, nos amou a ponto de querer vir a terra para morrer por você e por mim.

CRISTO MORREU POR MIM
Mesmo nos amando, Deus não pode deixar o pecado fazer parte de nossas vidas. A Bíblia diz, em 1 Coríntios 15: 3, "Cristo morreu pelos nossos pecados.. . foi sepultado, e ressuscitou segundo as Escrituras (Bíblia )".
Quando o Senhor Jesus, o Filho de Deus sem pecado, morreu na cruz, morreu em seu e meu lugar.
Ele fez isso por nós, para que nós pudéssemos entrar um dia no céu.
Você crê no que Deus diz na Bíblia? Pode dizer de todo o seu coração: "Se Deus disse, eu creio " ?
Isso é fé - crer na Palavra de Deus.

O MARAVILHOSO PRESENTE DE DEUS
Deus tem um presente para você ! O Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, morreu na cruz para que você pudesse receber esse pressente.
Você lembra do seu último aniversário? Lembra dos presentes que recebeu? Você pagou pelos presentes? Trabalhou para ganhá-los? É claro que não! Eram presentes!
Deus quer dar a você a vida eterna. Você não pode pagar, nem trabalhar para receber a vida eterna.. Você tem que crer no que Deus diz na Sua Palavra.
Creia que esse maravilhoso presente é para VOCÊ. 'Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus' (Efésios 2: 8).

EU ACEITO O PRESENTE
Há muitas pessoas que crêem que o céu é um lugar maravilhoso... crêem até mesmo que Jesus Cristo morreu na cruz por cousa dos pecados.. . mas não poderão entrar no céu. Sabe porquê? Porque não aceitaram a Cristo como seu Salvador pessoal.
Em Apocalipse 3: 20, lemos: "Eis que estou à porta, e bato; se alguém (homem, mulher, menino ou menino) ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa". O Senhor Jesus está lhe dizendo: "Se você abrir a porta do seu coração, pela fé, isto é, crendo em Mim, dar-lhe-ei esse maravilhoso presente de vida. Este é o presente de Deus - a vida etena!
Você não quer aceitá-LO agora, para que, um dia, possa ir ao belo lugar chamado céu?
Tudo o que você tem a fazer é abrir a porta do seu coração e deixar Jesus entrar.
Vamos abaixar a cabeça e fechar os olhos, enquanto você agradece o Senhor Jesus por ter morrido por você e pelo vida eterna que Ele lhe dá.
(Faça uma oração para ajudar as crianças)

SEGURANÇA
Depois que a criança aceitar a Cristo em seu coração, não se esqueça de lhe mostrar na Bíblia o que Deus diz sobre a salvação.
Pergunte: Agora que você aceitou o Senhor Jesus Cristo em seu coração, terá que morrer pelo seu próprio pecado? Não !
Em ICoríntios 15:3, nós lemos que Cristo morreu pelos nossos pecados.
Será que você preciso ser castigado pelo seu pecado? Não! Por que não? Porque o Senhor Jesus já foi castigado em seu lugar.
E se você pecar novamente? (Leia 1 João 1:9 ). O Senhor Jesus estará SEMPRE ao nosso lado para nos ajudar.
Podemos orar a Ele em qualquer momento. Onde Ele está? (Apocalipse 3: 20). No seu coração. Lemos em Hebreus 13: 5 que Ele jamais nos deixará ou abandonará.
Repita para as crianças, as últimas palavras... "te deixarei, nem te desampararei", usando para cada palavra, um dedo da mão, e fazendo-o repetir algumas vezes. Mas você está vendo que está faLtando uma coisa? O que está faltando? A palavra NÃO. Então Deus nos promete: "NÃO te deixarei, nem te desampararei".
Faça a criança repetir todas as palavras usando os dedos para as cinco últimas e dando bastante ênfase sobre o NÃO.
Insista com ela para que leia a Bíblia, para que ore e para que testemunhe.(Fonte: Texto adaptado - Aliança Pró Evangelização das Crianças).

(*) Retirado do site (Autor Desconhecido):
http://www.portalgospel.com/index.php?url=/dicas/evangelizar_criancas.htm

Algumas sugestões para o
Evangelismo Infantil:

1) Quando evangelizando:
• NÃO tente ser Deus - é o Espírito Santo quem convence as pessoas do pecado.
• NÃO ofereça brindes ou prêmios.
• NÃO enfatize o medo ou o inferno.
• NÃO pressione o grupo.
• NÃO insista em que a criança faça uma oração repetida ou memorizada.
• NÃO manipule as crianças com perguntas que sugerem uma determinada resposta: Quer aceitar a Jesus? Você quer ir para o inferno? Você vai confessar Jesus como seu Salvador?

2) Quando evangelizando:
• Tenha um relacionamento íntimo com as crianças.
• Incentive as crianças a expressarem seus pensamentos, dúvidas e decisões em suas próprias palavras. Algumas perguntas que podem ser feitas: Há quanto tempo está pensando sobre este assunto? O que entende sobre a salvação? Por que quer ser salvo? O que Jesus quer que você faça agora? Como vai explicar aos seus amigos o que aconteceu hoje?
• Apresente o plano de salvação, usando a Bíblia na Linguagem de Hoje, pois tem um vocabulário mais acessível às crianças.
• Esclareça conceitos, corrigindo idéias erradas.
• Incentive a criança a falar com Jesus pessoalmente, usando suas próprias palavras.
• Continue a trabalhar com a criança depois de sua decisão por Cristo.
• Não fale: “Você está salva agora!”. Deixe a criança confirmar por conta própria o que aconteceu com ela.

3) Depois que a criança receber a salvação:
• Converse com os pais.
• Verifique se a criança tem uma Bíblia e se sabe usá-la.
• Arrole a criança em uma classe de discipulado, de preferência ao nível de entendimento dela.
• Ore constantemente pela criança.
• Providencie um “orientador” espiritual para a criança.
• Providencie material para ser usado em casa, com o objetivo de ajudá-la no início da vida cristã.

(*) Este é apenas um fragmento do texto, veja o texto completo no endereço (Autor Desconhecido):
http://www.monergismo.com/textos/evangelismo/evangelismo_criancas.htm

Projeto Deus te chAMA – Pedagoga Glaucia Mizuki
Colaboração para o Portal escolaDominical: Profª Glaucia Elisa de Paula Mizuki

LIZSANTOS

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

TRABALHOS ESCOLARES


VALE A PENA VISITAR TODO O ALBUM.
POSTEI ESSE TOPICO A PEDIDO



PROFESSORA REALIZADA( NO ORKUT)

sábado, 20 de setembro de 2008

orientando os filhos


Orientando os filhos

Efésios 6.1-41 - Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo.

2 - Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa,

3 - para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra.

4 - E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Se

nhor.


INTRODUÇÃO

Educar os filhos é responsabilidade dos pais, que devem cria-los na disciplina e admoestação do Senhor, nutrindo e dando o carinho necessário alimentando-os com a palavra de Deus, da infância à maturidade. Muitos pais na atualidade têm deixado essa tarefa para a escola ou igreja e isso tem sido com certeza a causa do extremo crescimento da delinquência juvenil. Nesta lição pretendemos desafiar os pais a assumirem totalmente a missão de educador, mas também mostraremos os caminhos que poderemos trilhar para chegar a esse fim, como veremos a seguir.


I – FORMANDO A PERSONALIDADE DOS FILHOS


O caráter não é herdado, é formado, e, é nesse ponto que entra o papel dos pais, pois a formação da criança envolve o moral, a ética e a conduta, que desde a mais tenra idade sofre influência do lar, da escola, da igreja e da comunidade com que se relaciona. É mais fácil formar um bom caráter a muda-lo. O temperamento, que tem a ver com as ações, reações, e emoções do indivíduo em relação ao nosso próximo, chamamos de natureza, feitio, índole, modo, jeito e não pode ser mudado, mas pode e deve ser controlado.
Aos pais cabe aplicar a disciplina através da palavra de Deus a fim de formar em seu filho um caráter verdadeiramente cristão. Esta formação envolve basicamente quatro passos.

Que são:

1. Formação cristã

A formação cristã dos filhos tem a ver com a doutrina cristã: hábitos e práticas como: oração, leitura da Bíblia, o culto, a Escola Dominical, a casa do Senhor, o dízimo do Senhor, dar graças pelo alimento, a filantropia, o altruísmo, a reverência pelas coisas do Senhor e da Igreja. (Dt 6).

O acompanhamento diário, desde o nascimento é fundamental para que não percamos os filhos para Satanás, que anda rugindo tentando rouba-los de nós. (Pv 22.6)


2. Formação social
Os pais devem se empenhar para que os filhos cresçamunidos, amando uns aos outros, exercitando a fraternidade. O exemplo e dedicação são fundamentais para que nossos filhos aprendam na prática e não somente na teoria. Sendo bem instruídos quanto à obediência, dignidade, submissão e respeito certamente darão bons frutos. Por ignorar a importância da formação social colocamos no mundo, jovens incapazes de interagir com o próximo.


3. Formação moral
É ligada ao caráter cristão, e envolve pudor, respeito próprio, respeito aos outros, bons hábitos, bons costumes, ética, boas maneiras que começam em casa e se externam na escola, na igreja, no lazer, etc. Como pais devemos imprimir nas crianças os bons costumes, que os seguirão por toda a vida.


4. Formação intelectual
É ligada à escolarização da criança, o que estuda, lê e vê. Aqui entra a aplicação da disciplina, que é momentânea, mas traz resultados duradouros. (Hb 12.11) Disciplina não é primeiramente castigo físico, mas, impor restrições, é ensinar a obediência, imprimindo na criança o conceito de que na vida não podemos fazer somente o que queremos, que existem regras a serem cumpridas. (Pv 29.15) Os pais não devem explorar o trabalho das crianças em detrimento dos estudos, que merecem prioridade. O uso indiscriminado da TV e de outras formas de diversão poderá trazer graves consequências para a formação da criança.


II – COMPETÊNCIA E RESPONSABILIDADE DOS PAIS

Deus espera que a família seja um instrumento de benção para a igreja e para o mundo através dos filhos criados para Deus. Os filhos educados no caminho do Senhor podem aprender a adorar desde a infância como Samuel. (I Sm 2.18)

1. Educando com o exemplo
A influência espiritual dos pais é fundamental para levar os filhos a Cristo, pelo exemplo de fé e obediência a Deus. (1 Co 7.14) Um personagem bíblico que nos chama a atenção é Noé, que a despeito de ter vivido em meio a uma geração corrupta,que zombou e desacreditou de sua mensagem, não permitiu que influenciassem seus filhos que entraram na arca, com suas respectivas esposas. Deus tinha um plano para Abraão que se perpetuaria na sua descendência, mas para isso ele assumiu o compromisso de conduzir os filhos no caminho do Senhor. (Gn 18.19) Nossos filhos poderão não entender o que falamos mas certamente aprenderão a fazer o que fazemos.


2. Educando com amor
Em Ef 6.4 encontramos orientação para educar os filhos com amor; produzindo neles a consciência de que o pai corrige o filho a quem ama, e que o faz em obediência a mandamento divino. De acordo com Deus não devemos provoca-los à ira, levando-os ao assombro como fazem alguns. Cria-los na disciplina e admoestação do Senhor, sem condescender com seus erros, quer dizer que a educação deve ser objeto do maior cuidado dos pais, ensinando o que é útil para esta vida e proveitoso para a eternidade. Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele. (Pv 22.6)


3. Educando pessoalmente
Aqui está o que já mencionamos na introdução desta lição que muitos pais na atualidade têm deixado essa tarefa para a escola ou igreja e causado extremo crescimento da delinquência juvenil. A igreja deve dispor de bons orientadores, professores de escolas dominicais a fim de auxiliar na educação de nossas crianças, mas esta não é uma responsabilidade da igreja e sim dos pais que são constituídos por Deus para pessoalmente criarem os filhos na doutrina e admoestação do Senhor. Os pais devem sentir-se honrados em cuidar do bem estar espiritual dos filhos e leva-los ao real relacionamento com Deus. (Dt 6.7) O objetivo da educação dada pelos pais deve ser, temer ao Senhor e andar nos seus caminhos, amá-lo, ser-lhe grato e servi-lo com inteireza de coração. A negligência dos pais quanto ao ensino pessoal aos filhos, poderá trazer danos irreparáveis.


4. Educando à luz da palavra de Deus
Há um número considerável de jovens e adolescentes, que embora nascido num lar cristão, jamais passaram pelo batismo em águas. Provavelmente seus pais não os ensinaram a esserespeito à luz da palavra de Deus. Ensinar os filhos com base nas verdades bíblicas é o princípio sagrado para que aprendam desde cedo, que nesta terra são forasteiros, mas seu verdadeiro lar e herança está no céu. Cedo devem aprender as doutrinas básicas da fé cristã, tendo consciência do estado de pecado original, e a redenção através de Cristo. (Mt 19.14) Experimentando o batismo nas águas e a presença do Espírito Santo.


CONCLUSÃO

Como vimos, a educação dos filhos é mais importante do que a maioria de nós temos pensado, mas Deus por sua infinita graça tem procurado nos desafiar a uma atenção mais acurada para esse fim, pois, no contexto em que vivemos onde os padrões da moralidade e do respeito ao próximo, tem decaído cada vez mais, faz-se necessário investir na formação de uma geração futura totalmente revestida de um caráter cristão e de uma personalidade verdadeiramente íntegra.
1. Que atenção você tem dado à educação de seus filhos?

2. Será que a Igreja deve fazer o que Deus designou para você?

3. E quanto a Palavra de Deus, tens procurado usa-la na educação de seus filhos?


enviado por keide cristine ferreira (keide.bh@hotmail.com)

daniel


Daniel
texto-aureo:salmos 34: 7
O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.

Daniel já era um homem velho. Seu cabelo e sua barba já eram grisalhos. E ainda ele morava na terra longínqua da Babilônia. Ali ele era um servo nobre do rei.Mas Nabucodonosor não era mais rei. Este já estava morto há muito tempo. Agora havia um outro rei, que se chamava Dario.
O rei Dario estimava-o e dizia: "Daniel é o melhor servo de todos. Quero fazê-lo muito mais importante ainda. Vou nomeá-lo vice-rei. Então ele será o chefe de todo o meu reino e de todos os outros servos meus".Quando os outros servos souberam disso, ficaram com muita inveja.Eles disseram: "Deverá ele ser o mais importante de todos? Isso não deve acontecer. Nós é que queremos ser os mais importantes. Vamos espreitá-lo bem para ver se Daniel faz alguma coisa errada. E então iremos contar logo ao rei. Então o rei não gostará mais tanto de Daniel".Desde então, todos os dias iam espiar Daniel para ver se ele fazia alguma coisa errada. Mas Daniel não fazia nada de errado.
Fazia seu serviço da melhor maneira possível. E orava três vezes por dia.Quando Daniel orava, ele se ajoelhava em seu quarto, frente à janela aberta. Bem ao longe ficava Jerusalém. Ali estava uma vez o lindo templo, que agora estava queimado. Mas algum dia, o povo de Daniel iria morar lá de novo. E haveria lá também um novo templo, quando o castigo do povo tivesse passado.Daniel olhava para longe, para lá onde ficava Jerusalém, e orava dizendo: "Senhor, deixa meu povo voltar em breve para sua pátria."Daniel nunca se esquecia de orar, Isso ele fazia fielmente três vezes por dia. Os outros servos podiam vê-lo. E daí aqueles homens falsos imaginaram um plano para trazer desgraça sobre Daniel e para impedir que ele continuasse a ser o homem mais nobre e importante do país.Eles foram falar com o rei. Inclinaram-se profundamente. Comportaram-se muito corteses e amáveis, e disseram: "Oh rei, nós sabemos uma coisa boa. O senhor sabe o que deve fazer? 0 senhor deve ordenar que todas as pessoas em seu país não peçam mais nada a ninguém, nem a homens e nem Deus, durante um mês inteiro. Somente ao senhor poderão pedir o que quiserem, pois o senhor é o nosso rei poderoso."Isso agradou bem ao rei. Ele gostou do plano."Sim, isto eu farei", disse ele."E quem for desobediente será castigado com rigor", disseram os homens malvados. "Este deverá ser jogado na grande cova, onde estão os leões.""É, isso mesmo," disse o rei.Então ele mandou seus empregados passarem pelo país. E estes avisaram o povo por toda parte que ninguém mais devia orar nem devia pedir nada a ninguém, senão ao rei.Todos ouviram esta ordem. Daniel também ouviu. Ele percebeu bem quem tinha imaginado este plano perverso. Foram seus inimigos. Estes queriam sua desgraça.Que devia fazer Daniel?Deus tinha dito que cada um que o amasse, também devia orar a Ele.Mas o rei ordenou que isso não devia ser, mas que Daniel devia esquecer-se de Deus.A quem Daniel devia obedecer agora?A Deus naturalmente. E por isso Daniel continuava ajoelhando-se, três vezes por dia, frente à janela aberta.Mas perto da janela estavam seus inimigos, espiando. E quando viram que Daniel assim mesmo orava, correram depressa para contá-lo ao rei."Rei", disseram eles, "o senhor não disse que ninguém devia pedir coisa alguma senão ao senhor, durante um mês?""Sim", respondeu o rei, Isto eu clisse""E se alguém é desobediente, não deve ele ser lançado na cova dos leões?""Sim", disse o rei, "assim deve ser.""Oh rei", exclamaram eles, "então Daniel tem que ser lançado na cova dos leões. Ele foi desobediente. Ele ora a seu Deus, três vezes por clia"Aí o rei se assustou. Compreendeu como os homens tinham sido falsos."Daniel não", gritou ele, "não, Daniel não!"Mas os homens disseram: "Foi o senhor que deu essa ordem, rei e agora o senhor também tem que fazê-lo."Sim, era assim mesmo naquela terra: O que o rei tinha dito, isso ele sempre tinha que fazer. Ele queria ajudar a Daniel, mas não podia. E quando anoiteceu, Daniel foi levado para a cova dos leões.O rei estava bem triste e chamou: "Daniel, eu não posso ajudá-lo, mas espero que seu Deus o ajude."Então Daniel foi lançado na cova.Chegou a noite, mas o rei não pode dormir. Ele estava muito triste e sempre tinha que pensar em Daniel. Será que seu Deus cuidaria dele?De manhã, o rei levantou-se bem cedo e foi para fora. Com o coração batendo, chegou à cova dos leões."Daniel", chamou ele. "Daniel. Deus cuidou de você?"E de repente, o rei quase deu um salto de alegria. Porque do fundo da cova veio uma voz: "Sim, rei. Deus cuidou de mim. Ele mandou seu anjo, para cuidar que os leões não me fizessem mal algum, porque também eu não fiz nenhum mal."O rei ficou muito contente."Tirem-no dali!" gritou ele. "Depressa, tirem Daniel da cova!"Então vieram alguns homens, com uma corda grossa. Desceram a corda na cova e assim puxaram Daniel para cima. E então Daniel estava à frente do rei, vivo e são. Ele tinha passado a noite inteira com os leões ferozes, mas eles não lhe tinham feito nenhum mal.Que grande milagre foi este! E como estava contente o rei, porque tinha Daniel de volta.Mas então ele se lembrou dos homens malvados que queriam matar Daniel. Mandou seus soldados para buscá-los e então mandou jogá-los também na cova dos leões.Mas agora não havia nenhum anjo que cuidasse deles. Todos foram comidos pelos leões.Mas Daniel ficou sendo o servo mais importante do rei, sim, o mais nobre em todo o país.E o rei ordenou que todas as pessoas naquela terra servissem ao Deus de Daniel.

atividades


Tire proveito da grande quantidade de acontecimentos que há na estória e faça um pequeno questionário sobre a estória.As crianças adoram fazer dobraduras... Que tal fazer dobraduras dos personagens para recontar a estória? Outra sugestão é a construção do cenário da estória, também com os personagens (pode ser massinha, sucata, etc).

DANIEL NA COVA DOS LEOES


Daniel na Cova dos Leões
Tema: Confie no Senhor de Todo o seu coração
Texto base: Daniel 6:1-24
Versículo para memorizar: " O Senhor guardará você de todo perigo." Salmos 121:7.

A muito tempo atrás, existia um homem que se chamava Daniel. Ele vivia em uma terra distante, servindo a um rei chamado Dario em seu palácio.Daniel era fiel a Deus e orava sempre. O rei gostava muito de Daniel, mas alguns homens não gostavam. Eles queriam se livrar de Daniel. Esses homens não amavam a Deus.
Certo dia, os homens foram falar com o rei, dizendo:"_ Ó rei, mande que todo o povo faça orações somente ao senhor, ao rei Dario. Todos devem obedecer. Aquele que fizer orações a outro deus será jogado na cova dos leões.Eles tiveram essa idéia porque sabiam que Daniel amava a Deus e nunca faria orações a ninguém, senão ao Deus verdadeiro. Assim, eles se livrariam de Daniel.
O rei gostou da idéia e mandou que o povo obedecesse.Mas Daniel continuou a orar a Deus.Os homens que não gostavam dele souberam disso e avisaram o rei.Entao, o rei Dario mandou jogar Daniel na cova dos leões.Mas o rei não conseguiu dormir preocupado com Daniel. No outro dia, saiu correndo e foi procurar por ele na cova dos leões.
Ele gritou:"_ Daniel, servo do Deus Vivo! Você está bem? O seu Deus te salvou?"
Daniel respondeu:"_ Sim, o meu Deus me protegeu e fechou a boca dos leões."entao o rei mandou tirar Daniel dali e passou a acreditar em nosso grande Deus, pois viu que Ele protegeu Daniel.

liz-anny@hotmail.com

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

riscos e artesanato em geral




excelente trabalho.



FAÇA SOZINHO!!!!!!!!!

muita coisa linda sobre E.V.A.





linda pagina no orkut com trabalhinho em E V A para deixar sua sala ainda mais bonita professor




trabalho de ELISANGELA

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

VARIAS ESTORINHAS







A MOEDA PERDIDA

Oração: Querido Deus, abençoa esta semana que se inicia. Ilumina nossos corações para que possamos sair daqui levando uma mensagem bem bonita. Amém.

Estória: A moeda perdida (sugere-se a realização de um pequeno teatro para esta estória, mas se você tiver outra idéia para um conteúdo semelhante...).

Certo dia, me aconteceu uma coisa. Talvez já tenha acontecido com algum de vocês... Quem já deixou cair um objeto bem pequeno? E encontrou de novo? Comigo foi assim:
Ah! Essa vida não é nada fácil! A gente trabalha, trabalha e trabalha, e o dinheiro não dá para nada... E tem muita gente como eu por aí, que passa o dia inteiro trabalhando na casa dos outros. Eu lavo, passo, cozinho, limpo a casa, lavo a louça e faço mais um montão de coisas. No final do dia, quando eu já estou quase morta, vou para minha casinha. Ela é bem pequenininha, simples e humilde. Ah, mas é minha. Tem um montão de gente que nem isso não tem...
Quando eu chego em casa, quase morta, vocês sabem o que é que eu faço. Se vocês acham que eu vou descansar, estão muito enganados. Aí eu vou lavar e passar a roupa da minha família, arrumar janta para o pessoal, que, só por que é homem, não faz nada. Vocês acham isso certo? Eu não acho! Eu acho que todo mundo devia ajudar nas tarefas de casa para podermos ficar mais tempo juntos, descansando...
E assim são os meus dias, todos iguaizinhos. Só aos domingos é que eu posso descansar um pouquinho. Aí eu vou para a igreja, agradecer a Deus e pedir a ele que continue me dando muita força e saúde para agüentar a semana. Também peço para que ele me dê forças para tentar fazer este mundo mais humano.
Na metade do mês, minha patroa me paga metade do meu salário. É pouco, mas dá para levar a vida. Dá para comprar o pão, o feijão, o arroz, a batata e mais algumas coisinhas. Vocês sabem o quanto eu ganho? A cada 15 dias, eu ganho dez moedinhas assim (pegue 10 moedinhas de papel e as mostre. Caso alguma criança pergunte quanto elas valem, responda o que você achar mais correto e justo). Na hora que eu recebo minhas moedinhas, eu fico tão feliz, que conto elas umas 5, 10, 20 vezes. Até me deu vontade de contar de novo. (Nesta hora, uma moeda deve estar faltando). Vocês me ajudam? 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9. Ué, ta faltando uma moeda. Gente, aqui só tem nove. Eu contei elas agorinha mesmo... Eu devo ter perdido; mas não pode. Aonde será que eu perdi essa moeda? Só pode estar aqui em casa. Vou procurar pela casa inteira, até eu encontrar. Eu tenho que achar essa moeda. (Procure a moeda por diversos cantos, demonstrando tristeza e chateação por não encontrar a moeda). Aqui está ela! Finalmente eu encontrei! Nem acredito!!! Que alegria! Estou tão contente, que acho que vou dar uma festa!
(Agora compare a alegria da mulher que encontra sua moeda, com a alegria de Deus quando um de nós se arrepende de uma coisa errada).
Sugestão de atividade:

Você pode sugerir brincar de “quente ou frio”, dependendo de quantas crianças estiverem presentes.


JOSE
Iniciar o Culto Infantil com uma breve oração.

Estória - José
Você sabe quem era José?
José era um filho de Jacó.
Tinha uma porção de irmãos. Dez irmãos grandes e um irmão pequeno. Este se chamava Benjamim. Jacó gostava muito dele, mas de José ele gostava mais ainda.
O pai Jacó amava mais a José que a todos os outros filhos. Ele até o mimava um pouco. Deu a ele uma roupa bonita de muitas cores, uma roupa de príncipe.
O pequeno Benjamim quase sempre ficava em casa com o pai. E também José muitas vezes ficava. Mas todos os outros, os dez irmãos grandes, estavam o dia todo no campo, para pastorear as ovelhas e as vacas.
Às vezes José também ajudava. Mas ele não gostava de estar com os irmãos, porque sempre eram rudes contra José. Você sabe por quê?
Porque ele ganhou uma roupa tão bonita, e eles, não.
Mas, também, porque às vezes faziam alguma coisa má, e José contava tudo ao pai.
E, ainda, porque José às vezes tinha uns sonhos esquisitos.
Certa vez José sonhou que ele com seus irmãos estavam num campo de trigo. O trigo já estava cortado. Agora tinha que ser amarrado em feixes.
José fez um feixe e colocou-o no campo, mas de repente o feixe se pôs em pé. E os feixes dos irmãos juntaram-se em redor do seu e curvaram-se profundamente diante do feixe de José.
José não podia esquecer este sonho. E contou-o a seus irmãos. Mas estes ficaram muito zangados e disseram: "Sim, isso é que você gostaria, que nós nos curvemos diante de você, que você seja senhor de nós, seu sonhador convencido".
De outra vez, José sonhou uma coisa mais esquisita ainda. Aí desceram do céu o sol, a lua e onze estrelas e curvaram-se à sua frente.
Quando José contou este sonho, também seu pai ficou aborrecido com ele e disse: "Menino, menino, que sonhadeira é esta! Você acredita mesmo que todos nós iremos curvar-nos à sua frente, eu, sua mãe e seus irmãos? Isso não é possível!"
Bem, José mesmo também não acreditava exatamente isso; mas que o tinha sonhado, era verdade!
O pai Jacó não podia mais esquecer esses sonhos. Sempre de novo tinha que pensar neles.
E os irmãos estavam muito aborrecidos com José. Tinham vontade de bater nele, de tão aborrecidos que estavam. Quase tinham vontade de matá-lo. Mas para isso não tinham coragem.
Porque o pai Jacó ainda vivia.
Certa vez os irmãos tinham ido para bem longe com as ovelhas. E de noite não voltaram para casa.
Então o pai Jacó disse a José: 'Vá para o lugar onde estão seus irmãos e veja como estão passando. E depois, volte depressa e conte-me tudo. Estou um tanto preocupado por causa deles".
José pôs-se a caminho para procurar seus irmãos. Muito tempo andou errante pelos vastos campos e procurou por toda, parte, mas em nenhum lugar conseguiu achá-los.
Mas, por fim, encontrou um homem que lhe mostrou o caminho. E então achou os irmãos.
Eles também já o tinham visto chegar de longe, os irmãos maus.
"Vejam só", disseram uns aos outros “ali vem o sonhador! Que tal, finalmente o temos! Agora o pai está tão longe. Vocês sabem o que vamos fazer?... Vamos matá-lo, e depois o jogaremos dentro do poço, e diremos ao pai que um animal selvagem o comeu. Então vamos ver qual será o resultado dos seus lindos sonhos".
Mas o irmão mais velho disse: "Não, não façamos isso. Não vamos matá-lo. Vamos jogá-lo vivo dentro do poço".
O irmão mais velho chamava-se Rúben. Ele não era tão, mau como os outros, mas tinha medo deles e por isso quis ser bastante esperto. Ele pensava: "Hoje à noite, no escuro, tirarei José às escondidas".
Então agarraram José e o arrastaram consigo. Arrancaram-lhe do corpo suas roupas bonitas e o jogaram no poço. Ele chorou e se lamentou, mas eles não se importaram. Não tinham pena dele.
"Pronto", disseram eles, "aí você está bem. Continue a sonhar que você é senhor de nós".
E depois, sentaram-se perto do poço e comeram. Sim, eles eram capazes de sentar-se para comer calmamente, enquanto o irmão chorava bem no fundo do poço.
Mas Rúben não era tão mau e cruel. Para não ouvir o choro de José, Rúben saiu para o campo.
Esperem só, pensava ele, assim que ficar escuro...
E ele pensou ter sido muito esperto.
Felizmente não havia água no poço. José não se podia afogar. Mas também não podia sair. As paredes eram muito altas e lisas. E seu pai não sabia de nada. Estava longe, e não podia ajudá-lo.
José tinha muito medo. Chorava.
Mas então pensou no Pai do céu. Este sem dúvida podia vê-lo. Só Ele podia ajudá-lo. Quando José pensou nisto, não tinha mais tanto medo.
De repente ouviu vozes de novo. Seus irmãos tinham voltado. Será que agora ele podia sair do poço? Podia, sim. Eles o puxaram para cima com uma corda.
Mas que homens estranhos estavam por ali? Tinham consigo camelos que estavam carregados com grandes sacos. Pareciam negociantes vindos de terras estrangeiras. E por que olhavam tanto para José, e o examinavam de todos os lados?
Esses homens estranhos deram dinheiro aos irmãos de José. Então amarraram José com uma corda e levaram-no para junto dos camelos. Só agora José compreendeu o que iria acontecer com ele. Seus irmãos o tinham vendido. Ele foi amarrado a um dos camelos, e desse jeito teve que ir com aqueles homens estranhos.
Ele chorava de cortar o coração e gritava: "Ajudem-me, ajudem-me, quero voltar para junto de meu pai!"
Mas os irmãos não tinham pena dele. E Rúben não estava ali. Só quando José já se encontrava bem longe, Rúben veio de volta. Mas era tarde. "Ai, ai", disse Rúben, "que dirá nosso pai?"
Mas os outros já sabiam o que fazer. Eles não tinham medo de uma mentira.
'Mataram um carneirinho e com o sangue lambuzaram as lindas roupas de José. Essa roupa ensangüentada, enviaram com um empregado a seu pai e mandaram perguntar: 'Veja aqui, pai, achamos isto no campo. Não seria a roupa de José?"
Assim lograram o pai. Pois quando Jacó viu a roupa, pensou que José tivesse sido devorado por um animal selvagem.
Estava tão longe, o pobre do velho pai! Ele dizia: "Nunca mais poderei estar alegre, agora meu querido José está morto".
Pobre Jacó!
Ele não sabia que o sangue na roupa era só o sangue de um carneirinho.
Mas... não tinha ele mesmo logrado seu pai, há muito tempo, com um carneirinho e com as roupas de seu irmão?

Sugestão de atividades:
Podem ser feitas atividades escritas, fazendo-se questões sobre a estória. Aproveite a riqueza de detalhes que a estória oferece e aborde questões como os sonhos, o ciúme dos irmãos, entre outras que podem ser extraídas da estória.
Para as crianças menores, você pode desenhar a seqüência da estória fora de ordem e pedir que coloram, recortem e coloquem na ordem correta, por exemplo. Use sua criatividade...


JONAS E A BALEIA

Oração: Crie a sua oração ou peça a uma criança que a faça.

Estória – Jonas e a Baleia

Jonas era um profeta, um servo de Deus. Mas ele não era um servo obediente. Deus disse a ele: “Jonas, você vai viajar. Você irá até a grande cidade de Nínive, porque os homens de lá estão fazendo muitas maldades. Eu quero que você diga a eles que eu estou vendo o seu mau comportamento e que os castigarei, se continuarem assim”.
Mas Jonas pensou: “Eu não vou fazer isso! Eu não vou até Nínive. Deixa essa gente fazer maldades, porque são inimigos do meu povo. Eu não quero ir para onde estão os inimigos”.
E Jonas viajou. Só que ele foi para o lado errado. Ele tinha que ir para o leste e foi para o oeste. Ele fugiu de Deus.
Jonas pensou, -Eu vou fugir Vou para bem longe, tão longe que Deus não me possa achar mais. Dai não terei que ir a Ninive.
E ele andou e andou, até chegar ao mar. Então não podia ir mais adiante.
Perto da praia havia um navio, este queria justamente partir para atravessar a grande água. Jonas pensou: Eu vou naquele navio. Então posso ir para mais longe ainda. Então com certeza Deus não me achará mais.
E foi o que ele fez. Embarcou no navio para atravessar o grande mar. O capitão do navio esteve de acordo. Jonas deu-lhe dinheiro para a viagem
O céu estava bem azul e o sol brilhava tão bonito! As pequenas ondas batiam graciosamente contra o navio. Oh, como era bom navegar no mar.
Mas Jonas não achava isso tão bom. Ele não teve coragem de ficar no convés do navio com os outros homens. Tinha tanto medo de que Deus o visse. E ele também estava muito cansado de sua grande viagem. Deitou-se no porão do navio e dormiu. Então não sentiu mais a canseira. Também não sentiu mais o medo.
Mas Deus estava vendo Jonas naquele lugarzinho escuro do porão do navio. Ele bem que podia achar seu servo desobediente no grande mar.
Então, Deus chamou a tempestade e mandou-a soprar com força contra o navio. E a tempestade foi mais obediente do que Jonas, pois logo fez o que Deus mandou. Ela trouxe grandes nuvens escuras. O sol se escondeu atrás dessas nuvens. A tempestade soprou nas velas, e quase derrubou o navio. Soprou tanto contra as ondas pequenininhas, que elas logo ficaram grandonas. As ondas batiam com tanta força contra o navio que quase quebraram o casco.
Então todos começaram a sentir muito medo desta tempestade. Só Jonas continuava a dormir sossegado no porão do navio. Um marujo o sacudiu para acordá-lo e gritou: Levante-se e nos ajude.
Quando Jonas subiu ao convés, logo percebeu que Deus o tinha achado e falou: “Isto é por minha culpa. Deus está me castigando, pois fui desobediente. Se vocês me jogarem no mar, Deus irá levar a tempestade embora”. Jonas insistiu, até que os marinheiros o jogaram no mar.
Jonas caiu no mar e a tempestade foi-se embora... Os marinheiros ficaram admirados com o poder de Deus. Mas e Jonas? O que será que aconteceu a ele?
Deus mandou um grande peixe, uma baleia para salvar Jonas e o levar até a praia. Deus levou Jonas de volta para sua terra. E lá ele disse a Jonas para continuar sua tarefa. Ele deveria ir a Nínive.
Agora Jonas obedeceu a Deus. Foi a Nínive e falou o que Deus lhe pediu: que dentro de 40 dias a cidade seria destruída.
O povo de Nínive se assustou com a notícia e se arrependeu de seus pecados, fazendo com que Deus deixasse de os castigar.


Sugestão de atividades:

1. Você pode representar parte da estória com as crianças, usando grandes caixas de papelão (o momento em que Jonas está na Baleia)
2. Há outras sugestões, como este desenho para colorir ou a atividade de fixação


3. Crie a sua.

JONAS E A BALEIA

Vamos fazer alguns exercícios para fixar bem a mensagem que nos foi passada hoje através da estória de Jonas?

1. Quem foi Jonas e qual era a sua missão?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2. Por que Deus ficou zangado com Jonas?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

3. Qual foi o castigo reservado por Deus para ele? Você acha que Deus foi justo? Por que?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

4. Qual lição você acha que Deus quis ensinar a Jonas com este castigo?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

5. Conte a estória da maneira como você a entendeu. Pode ser escrevendo ou desenhando.



O Fariseu e o Publicano
Oração: Querido Deus, abençoa o nosso encontro e esta semana que se inicia. Amém!

Estória – O Fariseu e o Publicano

Certo dia duas pessoas foram ao templo para orar. Os dois entraram no templo e cada qual fez sua oração. O primeiro chegou diante do altar, ergueu suas mãos para o alto (era costume da época) e orou:
Oh! Senhor eu te agradeço porque não sou uma daquelas pessoas que não dão coletas, que vivem de negócios desonestos como, por exemplo este homem que se encontra ali no fundo do templo. Eu não sou ruim, duas vezes por semana eu me purifico e não como. Dou a décima parte de tudo que ganho para a igreja.
Assim continuou a apresentar a Deus tudo de bom que ele fez.
O segundo agiu de forma bem diferente do anterior. Não teve nem coragem de erguer as suas mãos. Nem sequer ergueu a cabeça. Ele estava certo que era pecador e que não tinha nada para se gabar diante de Deus. Só tinha condições de bater no peito e dizer:
Senhor, eu sou um pecador, minha vida está cheia de erros, tenho prejudicado o meu próximo, não sou merecedor de nada, mas tenha pena de mim e dá-me o teu perdão.
Com qual das orações Deus se alegrou?
O primeiro chegou diante do Senhor falando de sua vida e de como ele era bom e de quantas boas obras tinha feito. O segundo veio, com mãos vazias, confessou sua vida cheia de erros. Ele não tinha nada para apresentar. Somente uma coisa ele queria: perdão pelos seus pecados, e, salvação que só Deus pode dar.
Jesus disse que o segundo fez certo e orou corretamente. Ela demonstrou humildade e confiança total. Sua vida, cheia de faltas e enganos, não está certa. Mas a sua humildade e confiança de dizer isto ao Senhor e a certeza e confiança de que o Senhor pode dar ente perdão fez com Jesus concluísse dizendo: “Uma coisa é certa! Quem voltou para casa perdoado foi o publicano. Aquele que realmente veio para ser perdoado”.

Oração Final: Querido Deus, ilumina nossos corações para que sejamos humildes como o publicano e possamos reconhecer os nossos erros. Amém!

Sugestão de atividade:


1. Exercício de fixação sobre a estória;
2. Desenho livre;
3. Modelagem;
4. Colagem com sucata, montando o cenário da estória


O Fariseu e o Publicano

Vamos fazer alguns exercícios de fixação sobre a história de hoje?

1. Qual a diferença entre o fariseu e o publicano?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2. Qual atitude Deus aprova mais, a do fariseu ou a do publicano? Porquê?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

3. Com qual deles você acha que se parece mais, na maior parte do tempo?
________________________________________________________________________

4. Faça uma oração a Deus, pedindo por coisas que você acha importante.
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

5. Faça um desenho recontando a história narrada hoje. Se preferir, pode escrevê-la com as suas palavras.


DANIEL
Daniel na cova dos leões

Daniel já era um homem velho. Seu cabelo e sua barba já eram grisalhos.
E ainda ele morava na terra longínqua da Babilônia. Ali ele era um servo nobre do rei.
Mas Nabucodonosor não era mais rei. Este já estava morto há muito tempo. Agora havia um outro rei, que se chamava Dario.
O rei Dario estimava-o e dizia: "Daniel é o melhor servo de todos. Quero fazê-lo muito mais importante ainda. Vou nomeá-lo vice-rei. Então ele será o chefe de todo o meu reino e de todos os outros servos meus".
Quando os outros servos souberam disso, ficaram com muita inveja.
Eles disseram: “Deverá ele ser o mais importante de todos? Isso não deve acontecer. Nós é que queremos ser os mais importantes. Vamos espreitá-lo bem para ver se Daniel faz alguma coisa errada. E então iremos contar logo ao rei. Então o rei não gostará mais tanto de Daniel”.
Desde então, todos os dias iam espiar Daniel para ver se ele fazia alguma coisa errada. Mas Daniel não fazia nada de errado. Fazia seu serviço da melhor maneira possível. E orava três vezes por dia.
Quando Daniel orava, ele se ajoelhava em seu quarto, frente à janela aberta. Bem ao longe ficava Jerusalém. Ali estava uma vez o lindo templo, que agora estava queimado. Mas algum dia, o povo de Daniel iria morar lá de novo. E haveria lá também um novo templo, quando o castigo do povo tivesse passado.
Daniel olhava para longe, para lá onde ficava Jerusalém, e orava dizendo: "Senhor, deixa meu povo voltar em breve para sua pátria."
Daniel nunca se esquecia de orar, Isso ele fazia fielmente três vezes por dia. Os outros servos podiam vê-lo. E daí aqueles homens falsos imaginaram um plano para trazer desgraça sobre Daniel e para impedir que ele continuasse a ser o homem mais nobre e importante do país.
Eles foram falar com o rei. Inclinaram-se profundamente. Comportaram-se muito corteses e amáveis, e disseram: "Oh rei, nós sabemos uma coisa boa. O senhor sabe o que deve fazer? 0 senhor deve ordenar que todas as pessoas em seu país não peçam mais nada a ninguém, nem a homens e nem Deus, durante um mês inteiro. Somente ao senhor poderão pedir o que quiserem, pois o senhor é o nosso rei poderoso."
Isso agradou bem ao rei. Ele gostou do plano.
"Sim, isto eu farei", disse ele.
"E quem for desobediente será castigado com rigor", disseram os homens malvados. "Este deverá ser jogado na grande cova, onde estão os leões."
"É, isso mesmo," disse o rei.
Então ele mandou seus empregados passarem pelo país. E estes avisaram o povo por toda parte que ninguém mais devia orar nem devia pedir nada a ninguém, senão ao rei.
Todos ouviram esta ordem. Daniel também ouviu. Ele percebeu bem quem tinha imaginado este plano perverso. Foram seus inimigos. Estes queriam sua desgraça.
Que devia fazer Daniel?
Deus tinha dito que cada um que o amasse, também devia orar a Ele.
Mas o rei ordenou que isso não devia ser, mas que Daniel devia esquecer-se de Deus.
A quem Daniel devia obedecer agora?
A Deus naturalmente. E por isso Daniel continuava ajoelhando-se, três vezes por dia, frente à janela aberta.
Mas perto da janela estavam seus inimigos, espiando. E quando viram que Daniel assim mesmo orava, correram depressa para contá-lo ao rei.
"Rei", disseram eles, "o senhor não disse que ninguém devia pedir coisa alguma senão ao senhor, durante um mês?"
"Sim", respondeu o rei, Isto eu clisse"
"E se alguém é desobediente, não deve ele ser lançado na cova dos leões?"
"Sim", disse o rei, "assim deve ser."
"Oh rei", exclamaram eles, "então Daniel tem que ser lançado na cova dos leões. Ele foi desobediente. Ele ora a seu Deus, três vezes por clia"
Aí o rei se assustou. Compreendeu como os homens tinham sido falsos.
"Daniel não", gritou ele, "não, Daniel não!"
Mas os homens disseram: "Foi o senhor que deu essa ordem, rei e agora o senhor também tem que fazê-lo."
Sim, era assim mesmo naquela terra: O que o rei tinha dito, isso ele sempre tinha que fazer. Ele queria ajudar a Daniel, mas não podia. E quando anoiteceu, Daniel foi levado para a cova dos leões.
O rei estava bem triste e chamou: "Daniel, eu não posso ajudá-lo, mas espero que seu Deus o ajude."
Então Daniel foi lançado na cova.
Chegou a noite, mas o rei não pode dormir. Ele estava muito triste e sempre tinha que pensar em Daniel. Será que seu Deus cuidaria dele?
De manhã, o rei levantou-se bem cedo e foi para fora. Com o coração batendo, chegou à cova dos leões.
"Daniel", chamou ele. "Daniel. Deus cuidou de você?"
E de repente, o rei quase deu um salto de alegria. Porque do fundo da cova veio uma voz: "Sim, rei. Deus cuidou de mim. Ele mandou seu anjo, para cuidar que os leões não me fizessem mal algum, porque também eu não fiz nenhum mal."
O rei ficou muito contente.
"Tirem-no dali!" gritou ele. "Depressa, tirem Daniel da cova!"
Então vieram alguns homens, com uma corda grossa. Desceram a corda na cova e assim puxaram Daniel para cima. E então Daniel estava à frente do rei, vivo e são. Ele tinha passado a noite inteira com os leões ferozes, mas eles não lhe tinham feito nenhum mal.
Que grande milagre foi este! E como estava contente o rei, porque tinha Daniel de volta.
Mas então ele se lembrou dos homens malvados que queriam matar Daniel. Mandou seus soldados para buscá-los e então mandou jogá-los também na cova dos leões.
Mas agora não havia nenhum anjo que cuidasse deles. Todos foram comidos pelos leões.
Mas Daniel ficou sendo o servo mais importante do rei, sim, o mais nobre em todo o país.
E o rei ordenou que todas as pessoas naquela terra servissem ao Deus de Daniel.

Sugestão de atividades
:
Tire proveito da grande quantidade de acontecimentos que há na estória e faça um pequeno questionário sobre a estória.
As crianças adoram fazer dobraduras... Que tal fazer dobraduras dos personagens para recontar a estória? – O como fazer as dobraduras encontram-se no livro “Arca de Noé - dobraduras bíblicas” de Gláucia Lombardi, que se encontra no armário do Culto Infantil. – Prepare-se com antecedência...
Outra sugestão é a construção do cenário da estória, também com os personagens (pode ser massinha, sucata, etc).

A OVELHA PERDIDA E ARCA DE NOÉ




Oração: Peça a uma criança para fazer uma oração.

Estória – A Ovelha perdida

Na estória de hoje, Jesus está reunido com todos os publicanos (cobradores de impostos) e pecadores. Os publicanos eram muito mal vistos pelo povo, pois roubavam na hora de cobrar os impostos. Naquela época, falar em publicano era a mesma coisa que falar em pecador, eram palavras usadas como sinônimos. Jesus está pregando e os pecadores estão ouvindo. Os fariseus (membros de um grupo religioso que obedecia as leis judaicas ao pé da letra) e os escribas (doutores da lei ou os teólogos da época) não podiam concordar com aquela cena: Jesus falando com pecadores. Segundo a lei judaica, alguém que diz seguir os mandamentos de Deus jamais poderia entrar em contato com pecadores. Como, então, Jesus, que se diz Filho de Deus, pode estar conversando com pecadores. Naquela época pensava-se “quem conversa com pecadores, também se transforma em pecador”. E Jesus, para explicar por que ele também conversa com aqueles considerados pecadores, conta uma estória: da ovelha perdida.
Nesta estória, Jesus fala de um pastor de ovelhas (que na época também eram muito discriminados, pois eram considerados ladrões, pecadores), que tinha 100 ovelhas. Jesus conta a estória como se o pastor de ovelhas fosse Deus e as ovelhas fossem os seres humanos.
Este pastor tinha muito trabalho para cuidar do seu rebanho, pois sempre tinha que contar suas ovelhas para ver se não faltava nenhuma. Um dia, ele sente falta de uma de suas ovelhas. Ele conta e reconta o rebanho várias vezes, mas só consegue achar 99 ovelhas. E o pastor fica muito triste, pois falta uma ovelha. Para o pastor, cada ovelha é muito especial. Portanto, ele resolve prender as 99 ovelhas que estão perto dele e vai procurar aquela que falta. Ele só consegue descansar na hora em que ele encontra a ovelhinha perdida.
Quando Jesus contou esta estória, ele queria nos dizer que é melhor um pecador arrependido, do que alguém que se faz de conta de santinho. Também que qualquer um de nós pode ser uma ovelha perdida, mas Deus nunca vai nos abandonar.

Sugestão de atividade:

Textura (instruções a serem dadas às crianças):
Coloque várias folhas de árvore ou mato, de tamanhos diversos, uma ao lado das outras, como se estivesse fazendo um mato.
Coloque uma folha de ofício sobre as folhas e passe o giz de cera deitado por toda a folha. Isto imprimirá a textura das folhas no papel.
Pegue pedacinhos de algodão e cole no “mato”, de forma a ter uma ovelha na “mata”.


A ARCA DE NOÉ


Oração: Querido Deus, abençoa esta semana que está começando e a todos a quem amamos.

Estória – A arca de Noé

Há muitos anos, numa terra distante, vivia um velho e sábio camponês chamado Noé. Ele era um homem bom e vivia com sua família uma vida tranqüila e pacífica. Eles cultivavam figos e uvas sob o calor do sol e punham ternura nas mãos para tratar dos animais.
Um dia, quando estava cuidando da sua plantação, Noé ouviu a voz de Deus. "Noé", disse Deus, "uma grande inundação está se aproximando. Eu quero que você construa um barco bem grande, uma arca. Então coloque dentro da arca dois de todos os tipos de animais que existem no mundo. Sua família e essas criaturas serão salvas da enchente".
Noé fez o que Deus pediu. Juntou uma grande quantidade de madeira que havia nas suas terras. Dia após dia, ele e seus filhos - Sem, Cam e Jafé - martelavam e pregavam as pranchas da arca.
Finalmente o enorme barco estava pronto. Havia uma rampa de madeira que chegava até a porta. Assim que Noé pôs de lado suas ferramentas, seu filho Sem chamou. "Pai", gritou ele, "olhe lá".
Noé olhou e viu, descendo pelas estradas e colinas, animais grandes e pequenos que se aproximavam. Pássaros enchiam o ar. Formigas joaninhas e aranhas comam pelo chão. Com um retumbar de passos e uma agitação de asas, os animais entravam na arca. Com seus passos de trovão, os elefantes balançam a rampa todinha. Coelhos enormes saltavam. Andorinhas faziam vôos rasantes sobre as cabeças. A família de Noé observava o embarque, enquanto um macho e uma fêmea de todos os animais existentes na terra encontravam um lugar a bordo da arca.
0 interior da arca estava lotado e os animais se acomodavam nas camas feitas de palhinha.
Noé sentiu um leve toque no seu ombro. Era um assustado pombinho branco, inclinando-se para junto dele. "Não se preocupe, pequenino", disse Noé acariciando o pescoço do passarinho. Então Noé levantou a cabeça para escutar. As primeiras gotas de chuva começavam a tamborilar no casco da arca.
E choveu, e choveu e choveu. A água levantou a arca do chão. Flutuando na enchente, ela subiu acima das árvores. Depois, acima das mais altas montanhas. A chuva caiu por 40 dias e 40 noites.
Os animais se sentiam seguros dentro da arca enquanto ela era levada pelas águas. A família de Noé alimentou-os e lhes deu banho. Sem esfregava as costas dos porcos, Jafé lixava as unhas das patas do rinoceronte... E o pombinho ia para todo canto empoleirado no ombro de Noé.
Finalmente a chuva parou. As águas acalmaram. A luz do sol brilhou no convés molhado da arca. Noé abriu uma janela. "Vá, amiguinho” disse para o pombinho. "Vá por aí e procure por terra".
0 pombo voltou duas horas mais tarde, cansado e triste. Noé deixou-o descansar por uma semana. Então o soltou novamente. Desta vez o pombinho voltou todo alegre, com um ramo de oliveira no bico. "Terra!", gritou Noé. "Abençoado seja, pequenino!".
Assim que a água começou a baixar, Noé viu que a arca estava pousada no alto de uma montanha. As árvores e os campos começaram a aparecer logo abaixo. Quando a terra ficou seca, Noé abriu as portas da arca. Aos pares e em famílias, os animais deixaram o barco. Eles corriam, voavam e deslizavam pelo vale ensolarado.
Um lindo arco-íris apareceu no céu. E Deus falou novamente com Noé. "Este arco-íris é um sinal”, disse Deus. "Eu prometo que nunca mais uma inundação irá cobrir toda a terra novamente".
E Noé e sua família, mais um casal de pombinhos, se instalaram no vale. Eles viveram sempre felizes, sob tempos de chuva e sol.

Oração final: Senhor, agradecemos por estarmos aqui mais uma vez e por podermos escutar esta bela estória. Obrigado pela sua promessa e por não nos abandonar. Amém!

Sugestão de atividades:

Nas próximas páginas, estão sugeridas duas atividades, uma para crianças maiores e outra que pode ser feita por todas. Mas não deixe de criar a sua própria atividade para esta estória tão rica! Use sua criatividade!

O BOM SAMARITANO


Oração: Querido Deus, abençoa a todas as pessoas de bem. Abençoa, também, este nosso encontro. Faz com que saiamos daqui levando boas mensagens. Amém!

Estória – O bom Samaritano

Certo homem tinha que fazer uma viagem. Ele morava em Jerusalém e devia ir a uma outra cidade, a Jericó.
Era um caminho abandonado e inseguro por onde ele tinha que passar. Lá não havia nenhuma casa, e lá não havia morador nenhum. Ao redor só havia morros e capoeiras.
Mas depois de um tempinho ... Tap tap - tap - ele escutou alguém se aproximando.
Era um homem vestido de branco. Um sacerdote que tinha feito orações no templo, um servo de Deus. Este de certo teria compaixão do pobre homem. Com certeza iria ajudá-lo.
O homem ergueu a cabeça, devagarzinho, e clamou: "Ajude-me, ajude-me!"
Mas o sacerdote fez de conta que não ouviu nada. Ele não tinha dó desse coitado. Deixou-o abandonado ali e passou depressa para o outro lado do caminho.
O homem infeliz estava outra vez sozinho, e gemia e sofria.
Mas escute!
Tap, - tap - tap ...
Outra vez alguém se aproximava. Agora vinha um levita, um empregado do sacerdote. Este também estivera no templo. Também ele era um servo de Deus. Será que este teria mais compaixão?
"Ajude-me, ajude-mel" Gritava o pobre homem.
Mas o levita também não era um bom servo de Deus. Passou tão depressa corno o sacerdote.
0 ferido estava outra vez sozinho. Sua cabeça doia horrivelmente, e seu corpo todo também. Estava ficando cada vez pior.
Ele suspirava. Ele gemia.
Ninguém tinha compaixão dele. E pensava: Agora tenho certeza que vou morrer aqui!
Mas escute, não vinha outra vez alguém?
Trap - trap - trap ... assim fazia.
Um jumento se aproximava devagarzinho.
E havia um homem montado no jumento. Será que este iria acudir o ferido?
Não, ele certamente não ajudaria. Pois era um samaritano, um homem de um país estranho. Era um inimigo. Este iria zombar e dizer: "Ah, você está deitado aí? Bem feito."
0 pobre homem à beira do caminho fechou os olhos e ficou bem quieto, para que o samaritano não o visse.
Mas escute, o jumento parou. Ouviram-se passos. E alguém falou: "Oh, pobre coitado, que lhe fizeram? Você não pode andar mais? Espere, eu lhe ajudarei I"
Então o samaritano ajoelhou-se ao lado do homem, lavou o sangue e atou um pano na cabeça dolorida. Depois levantou o ferido com muito cuidado e sentou-o no jumento, e ele mesmo foi andando ao lado, para cuidar que o homem não caísse.
Ele nem se lembrava de que esse homem era seu inimigo. Isso não lhe importava. Ele amava seu inimigo. E tinha compaixão dele. Ele era um bom samaritano.
Assim seguiram devagarzinho pelo caminho, até chegarem a um albergue. Isso era uma casa grande, na qual se podia dormir, quando se estava em viagem. Mas devia-se dar dinheiro para isso.
O samaritano carregou o homem para dentro da casa, deitou-o numa cama e cuidou bem dele. E quando ele teve que seguir viagem, na manhã seguinte, chamou o dono do albergue, deu-lhe dinheiro e disse: "Isto é para você, mas você deverá cuidar bem desse pobre homem. Não o mande embora antes de estar bem curado outra vez. E se for preciso pagar mais, dar-lhe-ei o dinheiro quando voltar."
Também esta história o Senhor Jesus mesmo contou.
E quando o Senhor Jesus acabou de contá-la, Ele ainda perguntou: "Quem dos três fez o que Deus queria? O sacerdote, o levita ou o samaritano?"
Não era difícil responder esta pergunta. As pessoas souberam respondê-la com facilidade. E o Senhor Jesus disse: Então, vocês devem fazer assim também.

Oração final: Senhor, nos ajude a ser como o bom samaritano e ajudar aqueles que precisam de nossa ajuda. Amém!

Sugestão de atividades:

1. Você pode recontar a estória com as crianças fazendo um teatro.
2. Há também uma atividade para as crianças maiores, que pode ser utilizada.
3. Você pode fazer dobraduras conforme segue-se.


O Bom Samaritano

O que aconteceu com o homem durante a sua viagem?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Após o incidente, três pessoas passaram perto do viajante. Você se lembra quem eram?
A._____________________________________________________________
B._____________________________________________________________
C._____________________________________________________________

Qual dessas três pessoas ajudou ao viajante?
_______________________________________________________________

O que ele fez para ajudar o viajante?
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Qual dos três homens agiu de acordo com a vontade e os ensinamentos de Deus?
_______________________________________________________________

Desembaralhe as palavras e descubra o versículo chave desta estória:
MESMO – AME – VOCÊ – A – PRÓXIMO – AMA – AO – COMO – SEU – VOCÊ